Como financiar um apartamento com renda baixa

Como financiar um apartamento com renda baixa Riva Incorporadora

Trouxemos dicas essenciais para ajudar você a financiar um apartamento mesmo com a renda mais baixa!

Se você sonha em adquirir um imóvel próprio, mas continua adiando esse objetivo porque acha que sua renda é baixa, este texto é para você. E não fique desanimado, porque, sem dúvida, essa é a realidade de muitos brasileiros. Afinal, o atual cenário econômico faz com que o pagamento à vista seja uma condição privilegiada, possível somente a um grupo seleto de pessoas.

Sem tempo para ler? Clique no play para ouvir!

A boa notícia é que os diferentes tipos de linhas de crédito e parcelamento oferecidos pelas construtoras e pelas instituições financeiras têm facilitado a aquisição de imóveis com taxas de juros reduzidas e pagamentos mais acessíveis.

Quer saber como financiar um apartamento sendo de baixa renda? Acompanhe nosso artigo e fique por dentro das principais informações necessárias para realizar o sonho da casa própria. Boa leitura!

É possível comprar um apartamento com baixa renda?

Sim, você pode comprar um imóvel com um salário mais baixo e sair do aluguel antes mesmo do que você imagina. Isso porque existem diversos tipos de financiamento imobiliário, basta se planejar financeiramente e se encaixar no perfil das linhas de crédito e dos programas disponíveis.

É importante lembrar que existem diferentes maneiras de financiar seu imóvel, com taxas de juros mais baixas, que não comprometem seu orçamento mensal. Além disso, os programas habitacionais do Governo Federal são uma ótima alternativa, pois oferecem subsídios e parcelas bem menores, para todos os bolsos.

Lembre-se que a compra da casa própria vai muito além da questão financeira, ela também depende do esforço e do planejamento que você tem disposição para fazer. Portanto, para se preparar para a compra do imóvel, avalie o contexto do setor imobiliário, como estão as taxas de juros, quais os tipos de financiamento que atendem às suas necessidades e, principalmente, como anda o seu planejamento financeiro.

Como financiar um apartamento com baixa renda?

Basicamente, quando falamos de financiamento, nos referimos à compra à vista de um imóvel, usando o dinheiro de terceiros. Isso porque essa transação é feita por meio de um empréstimo. Ou seja, você utiliza o dinheiro para pagar o vendedor do imóvel e, por meio de parcelas a longo prazo, retorna esse recurso à instituição responsável.

Dito isso, confira as principais formas de financiar um apartamento, mesmo com uma renda mais baixa!

Financiamento pelo banco

Primeiramente, temos a possibilidade de financiar o imóvel por meio de um banco. Diversas instituições financeiras investem nesse setor e vêm ampliando a liberação de crédito para compra da casa própria.

Nesse caso, a escolhida pagará ao vendedor do imóvel o valor solicitado no financiamento. Em seguida, o comprador paga ao banco a quantia usada para quitar a dívida através do crédito concedido.

Atualmente, a Caixa Econômica Federal é a instituição mais popular, que mais concede financiamentos imobiliários. Parte disso se dá devido à possibilidade de parcelar o crédito emprestado em até 35 anos. Por essa razão, o financiamento da Caixa é a opção mais atrativa, sobretudo, para quem vive em uma faixa de renda mais baixa e pode se beneficiar das vantagens dos programas habitacionais.

Financiamento direto com a construtora

Esse tipo de financiamento é ideal para quem pretende adquirir um imóvel na planta ou em construção, assim como deseja quitar as parcelas em um período de tempo menor. Com o contexto econômico desfavorável, as construtoras também se tornaram mais abertas para negociar com os compradores.

Além disso, o financiamento direto com a construtora é uma modalidade com menos imposições e burocracias do que o empréstimo bancário. Outro fator positivo é que você adquire apartamentos modernos, com ótimas possibilidades de valorização e instalações em excelentes condições de uso. As taxas de juros e os valores das parcelas variam, de acordo com a construtora.

Financiamento pelo Minha Casa, Minha Vida

O Minha Casa Minha Vida é o atual programa habitacional do Governo Federal, que tem o objetivo de facilitar o acesso dos brasileiros à casa própria. A principal mudança é com relação às regiões de maior assistência: Norte e Nordeste, agora, apresentam maiores incentivos para quem deseja adquirir a casa própria.

Além disso, as taxas de juros são consideradas as menores do mercado, e você não precisa desembolsar uma quantia alta para dar de entrada no financiamento. O Minha Casa, Minha Vida possibilita que famílias de baixa renda realizem o sonho da casa própria por meio dos seus benefícios.

Quais são as possibilidades de financiamento?

Existem duas modalidades de financiamento imobiliário, que detalharemos, a seguir.

Sistema Financeiro da Habitação (SFH)

Essa modalidade de financiamento foi criada pelo Governo Federal. Seus recursos são provenientes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Pelo SFH, você consegue financiar imóveis residenciais de até R$950 mil (nos estados de SP, RJ, MG e DF) ou com valor de até R$800 mil naqueles situados no restante do país, com juros de até 12% ao ano. A parcela do financiamento não pode comprometer mais do que 30% da renda mensal do contratante.

Sistema Financeiro Imobiliário (SFI)

Também desenvolvida pelo Governo Federal, essa modalidade tem o intuito de suprir as carências do SFH. Pelo SFI, você pode financiar imóveis acima de R$950 mil, ou qualquer outro tipo de propriedade que não se encaixe no SFH. Nesse modelo, os recursos são provenientes do Mercado de Capitais, e também apresentam juros de até 12% ao ano.

Como o programa Minha Casa, Minha Vida pode ajudar com isso?

Como dito, o Minha Casa, Minha Vida é um programa habitacional do governo, seu intuito é proporcionar mais qualidade de vida por meio do acesso facilitado à casa própria para famílias de baixa renda.

O programa define três faixas de renda:

  • Faixa 1 — renda familiar de até R$2.640,00 mensais. Pode ter acesso ao financiamento habitacional com juros reduzidos e subsídios de até R$55mil*.
  • Faixa 2 — renda familiar de até R$4.400,00 com taxas de juros que variam de 4,75% a 7%;
  • Faixa 3 — renda familiar de até R$8.000,00 com taxas de juros que ficam em até 8,16%.

*O subsídio varia de acordo com a renda familiar, região, metragem e valor do imóvel.

Portanto, o MCMV é uma ótima alternativa, agora que você entendeu como financiar um apartamento. Isso porque não requer o desembolso de uma quantia alta de dinheiro como entrada do financiamento e, ainda, mantém as parcelas mensais do pagamento do imóvel acessíveis.

Agora que você entendeu melhor o assunto, baixe nosso e-book e saiba como comprar o seu primeiro apartamento. Vamos lá!

Banner Final

A Direcional está presente em 13 estados e no Distrito Federal e há mais de 40 anos garante o sonho da casa própria para milhares de pessoas. São mais de 180 mil unidades entregues e outras centenas em construção em todo o território nacional.

  • +40
    Anos de Mercado
  • 13
    Estados brasileiros e Distrito Federal
  • + 6 mil
    Colaboradores
  • + 180 mil
    Unidades entregues e/ou incorporadas