Instalação de gás: como funciona e quais os cuidados

Instalação de gás: como funciona e quais os cuidados Riva Incorporadora

A instalação de gás no condomínio não é tão complicada quanto muitos imaginam e nem há pré-requisitos complexos para isso. Contudo, isso não significa que não existam cuidados básicos para garantir a segurança de todos.

Em condomínios mais modernos, por exemplo, a própria construtora instala o gás encanado. Nesse caso, é desenvolvida uma tubulação específica de cobre ou aço carbono antes da entrega das chaves aos compradores. 

Por outro lado, é possível adaptar esse sistema mesmo nos prédios mais antigos, inclusive migrando do gás natural para o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo). Mas, para isso, o ideal é encontrar uma empresa de confiança.

Para ter toda a comodidade necessária em um imóvel, é essencial contar com uma instalação de gás eficiente e segura. Por isso, elaboramos este conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre esse tema! Acompanhe!

Como funciona a instalação de gás?

Antes de optar por um tipo de fornecimento de gás, é fundamental providenciar uma avaliação realizada por um profissional qualificado. 

Então, com a vistoria feita, pode-se escolher o modelo ideal, incluindo o mapeamento do local para adequar o espaço ao reabastecimento do gás.

Além disso, alguns condomínios canalizam o gás individualmente, de modo que cada unidade tenha a própria instalação. Para isso, utiliza-se o gás da rua ou de botijões GLP, localizados no térreo do edifício.

profissionais com equipamentos para a instalação de gás.

Quais os tipos de instalação de gás?

Geralmente, os condomínios utilizam dois tipos de gás: GLP e gás natural. Então, para optar pelo modelo mais adequado, a empresa responsável pela instalação estuda a planta do empreendimento, a demanda dos moradores e uma série de outros fatores. 

É importante ressaltar que as duas opções são seguras, contanto que as normas vigentes no Brasil sejam respeitadas. Dessa forma, reduz, principalmente, os riscos de vazamentos.

Sendo assim, entenda, a seguir, as principais diferenças entre cada tipo de instalação de gás!

GLP

A sigla GLP significa Gás Liquefeito de Petróleo. Tecnicamente, trata-se da mistura entre butano e propano, duas partes gasosas de petróleo. No entanto, diferentemente de outros gases, comercializa-se esse composto em forma líquida, vendido em cilindros ou botijões, de maneira geral.

Alguns dos seus principais benefícios são:

  • Disponível em praticamente todos os lugares do país;
  • Distribuição simples;
  • Versatilidade;
  • Disponível em diferentes quantidades;
  • Fonte de energia eficiente.

Gás natural

O gás natural, por sua vez, é um combustível fóssil. Portanto, em termos técnicos, é composto por hidrocarbonetos leves e outros gases variados. 

Então, como o próprio nome sugere, ele é encontrado de maneira natural no ambiente, a partir da submissão de fósseis a condições específicas de calor e pressão. Já a extração ocorre por meio de perfurações no solo.

As maiores vantagens de utilizar o gás natural em condomínios são:

  • Fácil adaptação à estrutura existente;
  • Combustão regulável de forma fácil;
  • Alto rendimento energético;
  • Dispersão rápida de vazamentos.

Cuidados na instalação de gás em condomínio

Os maiores medos relacionados à instalação de gás em condomínio envolvem explosões, incêndios e intoxicações. Por isso, deve-se realizar esse processo com muita cautela.

Afinal, além dos riscos ligados à integridade física das pessoas, alguns acidentes podem causar danos às unidades do empreendimento e às estruturas do prédio.

Por isso, independentemente do sistema adotado, leva-se o gás aos apartamentos por meio de um encanamento. Assim, é possível embutí-lo na parede ou deixá-lo aparente.

Em condomínios que utilizam botijões, é fundamental estar atento à posição desses objetos. Isso porque não é recomendado deixá-los deitados, devido aos perigos de vazamentos e danos aos reguladores de pressão.

Os botijões também devem ser posicionados em locais arejados e afastados de ralos. Sendo assim, o costume de armazená-los em armários e despensas não é uma prática muito segura.

Além disso, preste bastante atenção ao tamanho das mangueiras utilizadas. Isso porque não é bom usar extensões pelo risco de rompimentos. De toda forma, quando o gás é encanado, existem algumas orientações básicas. 

A primeira delas é manter as manutenções em dia e realizar inspeções ao renovar o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros). Ainda, não deixe de fazer testes periódicos, como o teste de estanqueidade para descobrir eventuais vazamentos. 

Por outro lado, as tubulações podem apresentar ferrugem, deterioração e falta de válvulas e ventilação. Se elas forem de aço galvanizado, é interessante trocá-las por peças de cobre para aumentar ainda mais a segurança.

O que diz a lei sobre a instalação de gás

A instalação de gás atende a uma legislação específica que delimita medidas de segurança para evitar acidentes graves que podem acarretar em danos leves ou mais sérios, como a morte e a destruição de patrimônios.

Portanto, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) faz essa regulamentação por meio da NBR 15526 (residencial), vigente no Brasil desde 2012, e a NBR 15358 (não residencial).

Os requisitos estabelecidos se aplicam a produtos que não ultrapassam pressões de operação de 150 kPa (Quilopascal), e que podem receber abastecimento por centrais de distribuição ou pela canalização da rua.

Então, os itens do documento especificam regras relacionadas a fatores como:

  • Materiais, equipamentos e dispositivos da rede de distribuição;
  • Tipos de tubulações;
  • Modelos de proteções utilizadas;
  • Instruções para testes de estanqueidade.

Agora você já sabe como funciona e os cuidados com a instalação de gás

A instalação de gás residencial ou em condomínio traz muita comodidade para os moradores. Isso porque é possível utilizar esse recurso no aquecimento de água, funcionamento de eletrodomésticos, aquecimento de ambientes, entre outros.

Contudo, para que esse procedimento ocorra com toda a segurança necessária, é essencial estar atento às melhores práticas de segurança e normas regulamentadoras estabelecidas pela ABNT.

Então, na hora de comprar um imóvel, procure saber como funciona o sistema de abastecimento de gás do condomínio e, principalmente, se as manutenções são realizadas conforme o recomendado.

E para continuar se informando sobre como ter a melhor experiência de aquisição de uma casa própria, não deixe de acompanhar o Blog da Direcional!

A Direcional está presente em 13 estados e no Distrito Federal e há mais de 40 anos garante o sonho da casa própria para milhares de pessoas. São mais de 180 mil unidades entregues e outras centenas em construção em todo o território nacional.

  • +40
    Anos de Mercado
  • 13
    Estados brasileiros e Distrito Federal
  • + 6 mil
    Colaboradores
  • + 180 mil
    Unidades entregues e/ou incorporadas